OAB Vitória da Conquista realiza ato de apoio ao advogado agredido por PM

OAB Vitória da Conquista realiza ato de apoio ao advogado agredido por PM

Na tarde desta terça-feira (09), a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) Subseção Vitória da Conquista realizou uma manifestação em apoio ao advogado José Reinaldo Vasconcelos Simões, que foi agredido por um policial militar em Itaberaba, município do Centro-Norte baiano. No mesmo momento, na Câmara Municipal de Itaberába, a OAB-BA realizou o desagravo público. O ato que ocorreu na sede da OAB, também contou com a participação de estudantes de Direito da Faculdade de Tecnologia e Ciências.

Depois de ter seu carro parado por uma viatura da PM, José Reinaldo Vasconcelos Simões foi abordado por um fuzil, agredido por chutes e deitado no chão quando retornava da casa de um cliente com a irmã dele. O presidente da Comissão de Direitos e Prerrogativas da OAB-BA, Adriano Batista, disse que “o policial queria que o advogado desse o contato do cliente e, como lhe foi negado, ele começou a agredir o colega fisicamente [...] e dizendo que ‘advogado que defende vagabundo também é vagabundo’”. Adriano também reivindicou ao corregedor que o oficial seja afastado do exercício dessa profissão o mais breve possível. O documento que atesta o afastamento do policial foi entregue pelo presidente da OAB-BA, Fabrício Castro, ao coronel Antônio Barbosa Neto.

O desagravo, além de ser um apoio legal à vítima, também é um manifesto em prol do fim da diminuição das crescentes divergências entre advogados e policiais no estado e em todo o país. Em fevereiro, um advogado foi preso por espancar um policial civil e atirar em um caminhoneiro em Feira de Santana e, ainda no mesmo mês, a advogada de Lauro de Freitas, Thalita Coelho, foi agredida por agentes das polícias Civil e Militar numa delegacia.

Tais casos de agressões que ocorrem entre as duas profissões, em maioria provocadas pelo excesso de autoridade das polícias, não são inéditas, contudo,  encontram-se em maior ascensão. Isso ocorre por conta do atual processo de polarização política e crescente desprezo à defesa dos Direitos Humanos, tão valorizados pela OAB e demais instituições nacionais e internacionais. Tais Garantias Fundamentais se encontram em uma gradativa crise de reconhecimento no país e em todo o mundo, em face das violências e também do aumento do poder político das minorias, que afeta setores conservadores da política e sociedade.

Siga-nos